GREVE DOS PROFESSORES:Secretário recebe estudantes - 29/08/2009

Representantes do Movimento Jovem de Boa Vista - MJB, da União dos Jovens e Estudantes do Brasil - UJE, da Associação dos Policiais Civis e da Federação das Associações dos Moradores de Bairros de Roraima – Famer, além de presidentes de associações de bairros, visitaram na manhã desta quinta-feira (03) o secretário da Educação, Cultura e Desportos, Dirceu Medeiros, para pedir esclarecimentos sobre a greve dos professores. O secretário fez então uma breve retrospectiva dos fatos.

O secretário lembrou que em maio deste ano, o Sindicato dos Professores do Estado de Roraima – Sinter realizou um congresso de professores onde foi elaborada uma pauta com vinte reivindicações para serem discutidas pela Secretaria de Educação, Cultura e Desportos - SECD.

"Nós respondemos a pauta de reivindicações e encaminhamos ao Sinter no dia 26 de junho. Depois disso, estabelecemos que toda primeira sexta-feira de cada mês iríamos nos reunir para discutir questões referentes a Educação de Roraima”, explicou o secretário. No dia sete de agosto, houve uma reunião entre Sinter e SECD, onde o Sinter não aceitou as repostas da SECD e decidiu deflagrar a greve.
Representantes da Famer também buscaram esclarecimentos

No último sábado (29), o governador José de Anchieta recebeu representantes do Sinter para chegar a um consenso quanto à greve, e das 20 reivindicações, apenas dois itens: (Eleição direta para diretor de escola e Reajuste salarial de 40%) não foram negociados.

Na terça-feira (1°) passada, o governador recebeu mais uma vez o comando de greve e entraram em um acordo quanto às eleições para diretores, restando apenas o ponto: reajuste salarial. “O governador explicou que tendo em vista a crise financeira que assola o país e Roraima, o Estado não tem condições de conceder o aumento. Mesmo assim, o comando de greve continuou com a paralisação que já dura mais de vinte dias”, disse o Secretário.

O coordenador geral da UJE, Francisco Ediglei, disse que essa greve não pode continuar. “Quem está sofrendo são os estudantes, que estão perdendo aulas”. Ele informou ainda que a UJE vai procurar o Ministério Público Estadual. “Vamos procurar o Ministério Público, pois a greve está prejudicando os alunos. Temos direito à educação, e isso está na Constituição Federal”, completou.

Já o presidente da FAMER, Faradilsom Mesquita, cobrou do secretário, providências urgentes no sentido de acabar com a paralisação dos professores. “Somos favoráveis a greve, desde que não extrapole os limites. Diante das respostas do governo às reivindicações dos professores, essa greve não se justifica mais. Queremos o retorno imediato dos professores para as salas de aula”, disse Faradilsom.

Os representantes e líderes comunitários pediram que o secretário e o governo tomem uma medida mais enérgica dêem uma resposta à sociedade. “Nós também vamos cobrar um posicionamento do Tribunal de Justiça de Roraima quanto a esta questão. As crianças não podem continuar sem aulas”, explicou Faradilsom.

Ao final da reunião, os líderes comunitários disseram que ficaram satisfeitos com as explicações do secretário e disseram que estão solidários ao governo. O secretário Dirceu Medeiros agradeceu a visita dos representantes e disse que está à disposição de todos para qualquer esclarecimento.

“A Secretaria de Educação sempre esteve de portas abertas ao diálogo, e continuamos disponíveis para atender qualquer solicitação da comunidade”, finalizou.

 Fonte: Secretaria de Educação de Roraima

 

 


Assista a TVUJE:
www.tv.uje.com.br
 

A UJE BRASIL no Twitter: www.twitter.com/ujebrasil